domingo, 8 de janeiro de 2012

Uma janela chamada "Sonhos"


Ela era tímida e sorridente...
Seus cachinhos pulavam a cada passo dado.
Seus olhos eram tristonhos e serenos.
Sua alma era uma mochila de sonhos.
Não podia brincar lá fora, onde o sol e a chuva brincavam com outras crianças. Sua casa era cercada por tijolos que a protegiam ou, se preferir, a prendiam de seres horripilantes que caminhavam lá fora.
Dona Invejência era muito cruel e seu esposo Sr. Agressilvo não deixava nada escapar diante de seus olhos.
Ela era tão pequena e vivia todos os dias brincando com vários balões invisíveis conhecidos no mundo dos gigantes como: "sonhos".
Não tinha muitas amigas e nem as mais chegadas iam visitá-la com medo do que os seres horripilantes faziam com quem se aproximava da casa da menina.
Numa noite quente e acompanhada por seu tio "Brincanoque", ela ousou pisar na calçada de sua casa e com seu tio curtir a lua que brilhava feito uma pérola perdida num tapete peludinho com diamantes espalhados.
Sr. Agressilvo logo bradou, atacou, encrencou com os dois que brincavam jogando bola e rindo das histórias malucas que só o Tio Brincanoque sabia contar. Ela correu pra dentro e o tio olhou para o ser medonho e o ignorou.
Mas não pensem que D. Invejência era menos encrenqueira...
Se a pequena ganhasse qualquer coisa, por mais simples que fosse D. Invejência iria dar um jeito de humilhar a pequena, esbravejar palavras ofensivas, roubar a alegria da pobre menina.
Só havia um jeito de sobreviver: "Sonhar".
A pequena menina era apaixonada por música e dança; todas às vezes que podia trancava-se no quarto, ligava o som e vivenciava no seu mundo de magia, cenários, conversas com amigos nunca vistos, histórias e canções.
Seu quarto era o seu planeta.
Seus sonhos sua vida.
O casal horripilante não durou muito tempo. Ficaram velhos, enrugados e morreram.
Já a pequena menina conseguira sobreviver e cresceu se tornando uma mulher simples e reservada mas os sonhos haviam sido guardados dentro de si.
Porque os sonhos foram feitos pra brincar se já não os podem realizar. Porque brincando a vida tem um gostinho doce que equilibra com o amargo da vida dos gigantes e faz com que crianças grandes continuem à caminhar...
Mesmo que seja olhando por uma janela aberta onde os muros feito cercas estejam ainda por lá.

Um comentário:

  1. Olá, amiga!! Passando p informar q já lançamos a 2ª etapa da promo Top Comentaristas! Estaremos sorteando brindes diversos a cada 2 ou 3 meses entre os seguidores q mais comentarem! Esse mês o prêmio foi um livro e quem ganhou foi a Sheyla, parceira Vou-de-Blog, e dona do blog http://blogdmulheres.blogspot.com/
    Bjinhos.
    Lu

    www.voudeblog.com

    ResponderExcluir

Agradeço por desejar compartilhar seus pensamentos e opiniões sobre o que escrevi. Sinta-se em casa e lembre-se que o respeito faz toda a diferença ao manifestar seus comentários. ;-)